(41) 3093-9397 (11) 2844-1889 (41) 98780-0910 (41) 98780-0910

Notícias

 
22/02/2018

Rota Romântica na Alemanha: roteiro de 5 dias com dicas de hospedagens e passeios

A Rota Romântica é a rota mais popular e conhecida da Alemanha. É um percurso de aproximadamente 380km, entre o rio Main e os alpes, que passa por várias comunidades da região sul da Alemanha, onde a natureza exuberante, a cultura e a hospitalidade são o grande destaque. Algumas cidades da Rota Romântica, são “grandes cidades”, cheias de atrações, comércio e vida própria, mas alguns lugares são pequenas comunidades, que quando percebemos já passamos por elas, de tão pequenas que são. Mas nem por isso, menos atraentes. Foram essas pequenas comunidades que mais nos encantaram. Existem basicamente três maneiras de percorrer a Rota Romântica: de carro, de ônibus ou pelas trilhas, seja de bicicleta ou a pé. Encontramos muitas famílias de bicicleta na região.

Nós optamos em fazer o trajeto de carro, principalmente pela praticidade e comodidade, ainda mais viajando com criança. Como já contei no post Alemanha com crianças: roteiro de 13 dias conhecendo 28 cidades, viajamos por essa região sem ter reserva em hotel. O objetivo era pernoitar nas cidades que nos encantássemos, e poder fazer o roteiro com calma e sem cobrança de horários. E não é que deu muito certo? Foi a melhor decisão que tomamos.

Como sou super nervosa e organizada, claro que fui com um roteiro base, com algumas sugestões de hotéis, mas não foi preciso apelar para a minha pesquisa. Mesmo no mês de agosto, que é alta temporada, foi muito fácil achar hospedagem, e os preços das diárias foram bem razoáveis.

Para quem planeja percorrer a rota de carro, como nós, é imprescidível que você se organize e leve alguns mapas ou o nome das cidades que deseja passar, pois o GPS “força”o trajeto pelas estradas principais e Autobahns, mesmo você marcando que deseja evitar esse tipo de estrada.

Então para você ir pela Rota Romântica “de verdade”, é preciso ir colocando os nomes das cidades uma por uma, pois dessa maneira conseguirá passar pelas rotas que passam pelos vilarejos mais bonitos. Existem algumas placas marrom identificando a rota pelo caminho, mas são poucas, e é difícil se guiar apenas por elas. Nós dividimos a rota, em duas partes, norte e sul, conforme o ótimo material do livro Estradas da Alemanha, da Publifolha.

Entramos na Rota Romântica vindos de Bamberg, e levamos quatro dias para percorrer as cidades marcadas nos mapas acima, mesmo tendo reservado cinco dias para o trajeto. Deixamos de fora algumas cidades que também fazem parte da rota, por priorizar as principais cujas atrações e paisagens nos interessassem mais. Foi um ótimo período, e deu para passear com calma. No quinto dia, aproveitamos para conhecer a região conhecida como Rota dos Lagos e Alpes, que também é lindíssima e nos deixou com gostinho de quero mais.

Dia 01: Início da Rota Romântica- Würzburg – Bad Mergentheim – Tauberbischofsheim
Chegamos em Würzburg no início da tarde e fomos direto ao Residenz, palácio barroco, Patrimônio da Humanidade da Unesco. Os jardins são enormes, lindos e muito agradáveis para passear.

Passeamos um pouco pela cidade e seguimos para o castelo Festung Marienberg, uma fortaleza no alto da cidade, com bonita vista do rio Main e dos vinhedos da cidade.

Seguimos para Tauberbischofsheim para passear pela cidade e procurar hotel para passarmos a noite. Logo encontramos o Hotel Krone, e fomos atendidos pelo proprietário.

Dia 02:  Creglingen – Rothenburg ob der Tauber.
Saímos cedo do Hotel Krone em direção a cidade de Creglingen, mas antes paramos para conhecer a Herrgottskirche, uma bonita igreja cujo altar é todo esculpido em madeira. Estacionamos o carro no centro da cidade, que é muito bonita, com suas casas em enxaimel e floreiras carregadas de flores.

De lá seguimos para Rothenburg ob der Tauber, cidade cujo centro histórico fica na área murada, com grande herança arquitetônica e lindas paisagens do rio Tauber.
Já escrevi sobre Rothenburg ob der Tauber, com todos os locais que visitamos. Com certeza foi a cidade que mais nos encantou e por isso, foi onde passamos a maior parte do tempo. E já na chegada procuramos hotel, para termos mais tempo para curtir a cidade. Passamos quase 24h na cidade.

Hotel: Eisenhut Hotel em Rothenburg ob der Tauber – 100 Euros
Dia 03: Shillingsfürst – Feuchtwangen – Dinkelbühl – Ausburg – Landesberg am Lech
Saímos de Rothenburg logo após o café da manhã reforçado em uma “bäckerei ( padaria em alemão) com destino a Shillingsfürst, Feuchtwangen e Dinkelbühl. As cidades ficam muito próximas uma das outras e visualmente falando são muito parecidas.

Dinkelbühl possui um dos mais bem preservados complexos urbanos medievais do país, com seus muros e torres ao redor do centro antigo ( altstadt). Não tem o visual de vale, como Rothenburg, mas é uma cidade muito bonita, com um comércio variado, casas típicas e muito agradável para um passeio “perdidos”pelas ruelas.

Seguimos viagem para Augsburg. Chegando lá estranhamos pois estava tudo fechado, inclusive restaurantes. Depois fomos descobrir que era feriado municipal. Augsburg teve seu auge durante a renascença, sendo importante centro financeiro durante esse período e também famosa por seus artistas e artesãos.  Estacionamos o carro em um estacionamento subterrâneo próximo a Igreja de Santa Ana e seguimos até a Rathausplatz, que é a praça da prefeitura com sua bela fachada renascentista. Caminhamos pela Karolinenstrasse até a Dom, que é a catedral da cidade. Das cidades que havíamos conhecido até então foi a que menos gostamos. Talvez por ser feriado e estar tudo fechado, ou talvez pelo grande número de obras na cidade. Mas de qualquer modo é uma cidade diferente das pequenas e charmosas vilas que passamos, até pelo seu tamanho.

Seguimos para Landesberg am Lech e lá sim, tivemos aquela sensação de cidade pequena e charmosa. A praça inclinada e a prefeitura são as principais atrações do centro antigo, muito bem preservado. Cafés e restaurantes com mesas na calçada, ruas estreitas para pedestres e o rio Lech que em pleno verão, era a atraçõa principal da cidade, com um clube a beira do rio, como se fossem as praias brasileiras. Landesberg se tornou conhecida também por ter sido escolhida por Hitler como local para escrever seu “Mein kampf”.

Como os dias escureciam tarde, aproveitamos para seguir viagem até Rottenbuch, para no dia seguinte seguir cedo até Füssen. No caminho avistamos um hotel no meio do campo que achamos muito bonito. Paramos, gostamos e havia disponibilidade. Foi ali que decidimos descansar do dia corrido e recuperar as energias para o próximo dia.

Hotel: Wellness Landhotel em Rottenbuch – 85 Euros com café da manhã
Dia 04: Visitamos Rottenbuch – Wieskirche – Füssen – Início da Rota dos Alpes: Schloss Lindenhof – Oberammergau
Saímos cedo do hotel, com destino para a Wieskirche, Patrimônio Cultural da Unesco. Incrível como em essa parte sul, a paisagem é completamente diferente ao trecho norte, com campos e os alpes ao fundo.

Wieskirche é uma igreja considerada obra prima da arquitetura da Alemanha no século XVIII, obra de Dominikus Zimmermann. A igreja foi concluída em 1754 em um local onde a mulher de um fazendeiro havia visto lágrimas de uma estátua de cristo. A igreja é muito visita por turistas e peregrinos. Olhando de fora aparenta uma igreja comum, mas ao entrar ficamos surpresos com seu belíssimo interior.

Conhecida a igreja seguimos para Füssen visitar o tão comentando Castelo de Neuschwainstein. Ficamos um pouco decepcionados com a desorganização e quantidade de turistas no castelo, mas é muito bonito.

Fomos ao conhecer o centro da cidade, e também os lagos, como contei nesse post: Castelo Neuschwainstein: dicas práticas para conhecer o castelo e outros passeios para fazer no mesmo dia. Eu imaginava que amaria Füssen e iriamos querer passar a noite na cidade, mas como não achamos nada demais, preferimos seguir viagem e iniciar a Rota dos Alpes, conhecendo o maravilhoso Castelo Linderhof. E para chegar até lá foi preciso entrar na Austria.

De lá seguimos até Oberammergau – leia “Oberammergau, a famosa cidade das casas decoradas na Alemanha”, para conhecer mais a cidade. Uma graça de cidade, cujos casarões são decorados com trabalhos de entalhe em madeira e pinturas. Já estava tarde e resolvemos passar a noite na cidade.

Percorremos a Rota Romântica no mês de agosto, no auge do verão e foi muito gostoso. O calor não era extremo e os dias eram longos, o que facilitava a nossa programação diurna. A noite chegava depois das 21h, e era uma delícia ficar na rua até mais tarde. Mas não se esqueça que muitos restaurantes fecham cedo. Era normal, nos avisarem que os pedidos de jantar podiam ser feitos somente até às 20h ou 20h30.
Eu havia reservado cinco dias para fazer a rota, mas em quatro dias, foi possível conhecer com calma e tranquilidade as principais cidades e vilarejos.
Todas as estradas são bem sinalizadas e pavimentadas, mesmo as estradas mais simples. Embora a sinalização da Rota Romântica, em si, não seja um trajeto muito sinalizado, era geralmente passeando por essas estradinhas que descobríamos as paisagens mais bonitas, as pousadas mais aconchegantes e os cafés e Biergartens mais saborosos. Todas as construções com suas floreiras nas janelas carregadas de flores e cidades limpas.

Seguro Viagem Obrigatório | Para viajar pela Alemanha,  todo o turista deve portar seguro viagem no valor de pelo menos 30.000 Euros, de acordo com o Tratado de Schengen, determinado por 26 países europeus.
Fonte: Viagens que Sonhamos
Compartilhe:

voltar

Compartilhe no WhatsApp